COVID-19 PODE SER CONSIDERADA DOENÇA OCUPACIONAL